Diagnóstico da Prestação de Serviços de Água e de Esgotos

//Diagnóstico da Prestação de Serviços de Água e de Esgotos

Diagnóstico da Prestação de Serviços de Água e de Esgotos

O Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS divulgou o Diagnóstico da Prestação de Serviços de Água e de Esgotos – 2016. O relatório concluído agora, março de 2018, traz os dados referentes ao ano de 2016.

São apresentadas informações sobre a cobertura e prestação do serviço de abastecimento de água e tratamento de esgoto no país. Vários dados estatísticos são disponibilizados. Os dados demonstram algum avanço em relação ao ano de 2015, porém, indica que os desafios a vencer ainda são grandes.

Apenas Minas Gerais, São Paulo e Paraná possuem coleta de esgoto superior a 70% das habitações. No entanto, o tratamento do esgoto, mesmo nesses Estados, ainda é precário. Na média nacional, apenas 44,9% do esgoto era tratado. Mesmo entre o esgoto coletado, grande parte ainda é despejado na natureza sem o tratamento adequado; de todo o esgoto já coletado apenas 74,9% recebiam algum tratamento. Em os casos, a pesquisa mostra melhoria no tratamento de esgoto no Brasil em 2016 com relação aos anos anteriores.

O consumo médio de água do brasileiro, em 2016, foi de 154,1 litros por habitante ao dia, uma queda de 4,1%. Contudo, o desperdício de água na rede de distribuição permaneceu elevado, com média de 38% de toda água produzida.

A pesquisa mostrou a importância do setor para a economia, com uma geração de 219 mil empregos diretos e mais 610 mil indiretos. O investimento estimado no setor foi de 11,5 bilhões de reais e a movimentação total chegou perto dos R$116 bilhões.

O diagnóstico também apontou o tipo de empresa responsável pelo abastecimento de água e tratamento de esgoto no país. A maior parte delas tem atuação Regional (130 milhões de pessoas) ou Locais (50 milhões de pessoas).  Com uma curiosidade, entre as empresas de atuação Local, a cobertura com coleta de esgoto é superior à cobertura com abastecimento de água. Entre as empresas Regionais, a maior parte é composta por “Sociedades de Economia Mista”; já entre as empresas locais, a imensa maioria – 1505 num universo de 1639 – são ligadas à Administração Direta.

Informações completas e dados sobre a pesquisa estão disponíveis aqui.

By |2018-03-16T19:19:36+00:0016 de março, 2018|