Guias para os profissionais de esgotamento sanitário

Essa série guias do profissional em treinamento faz parte da coletânea de materiais didáticos produzidos pelo Núcleo Sudeste de Capacitação e Extensão Tecnológica em Saneamento Ambiental (Nucase) no âmbito da Rede de Capacitação e Extensão Tecnológica em Saneamento Ambiental (ReCESA) no período de 2006 a 2009.

São doze guias que versam sobre sistemas de esgotamento sanitário, resultado do trabalho coletivo de dezenas de profissionais, os quais serviram de apoio às oficinas de capacitação de operadores em saneamento realizadas durante a vigência da ReCESA.

Os temas que compõem esta série foram definidos por meio de uma consulta a companhias de saneamento, prefeituras, serviços autônomos de água e esgoto, instituições de ensino e pesquisa e profissionais da área, com o objetivo de se definir os temas que a comunidade técnica e científica da região Sudeste considerava os mais relevantes para o desenvolvimento do projeto Nucase.

Enquanto o nível 1 foi elaborado para o profissional que tem o ensino fundamental e eventualmente para o profissional que tem o ensino médio e/ou superior de áreas não afins, o nível 2 foi elaborado para o profissional que tem o ensino técnico ou o ensino médio com experiência na área de saneamento e meio ambiente, e eventualmente para o profissional de nível superior com pouca experiência na área.

Certamente alguns temas abordados nesses guias carecem de atualização tendo em vista devido aos avanços nos conhecimentos e tecnologias na área de esgotamento sanitário durante esse período, bem como há muitos outros temas importantes a serem abordados.

Entretanto, mesmo diante dessas ponderações e sendo os guias direcionado especificamente para profissionais do setor de esgotamento sanitário, configura-se com um material interessante para consulta sobre diferentes temas relacionados aos sistemas de esgotamento sanitário.

Tem conteúdo para todos, então não perca essa oportunidade!

Processos de Tratamento de Esgotos

Você já parou para pensar por que os esgotos têm de ser tratados? A ausência de serviços de saneamento afeta grande parte da população brasileira, prejudicando a saúde das pessoas e causando danos ao meio ambiente. Nesse quadro, a disposição inadequada de lixo, a falta de um adequado gerenciamento das águas de chuva, além da falta de acesso à água potável e de sistema de coleta e tratamento dos esgoto sanitários, prejudicam a qualidade de vida das pessoas. Leia as guias abaixo para se informar mais sobre o assunto em um nível mais básico (nível 1) até um mais avançado (nível 2).

Estação de Tratamento de Esgoto Onça
Processos de Tratamento de Esgotos – nível 1
Processos de Tratamento de Esgotos – nível 2

Operação e Manutenção de Sistemas Simplificados de Tratamento de Esgotos

A falta de sistemas de tratamento de esgotos é a principal causa da poluição dos nossos cursos d’água e também é responsável por várias doenças que acometem os brasileiros. No Brasil, a busca pela alteração desse grave quadro sanitário tem destacado a importância da utilização de sistemas simplificados de tratamento de esgotos, cujos objetivos somente são alcançados com a adequada operação e manutenção dos mesmos. Leia as guias abaixo para se informar mais sobre o assunto em um nível mais básico (nível 1) até um mais avançado (nível 2).

Qualidade da água e controle da poluição

Você já reparou que as pessoas estão ficando cada vez mais preocupadas com o meio ambiente? Há algum tempo estamos sentindo de perto as consequências do desequilíbrio ambiental e se algo não for feito com urgência, as futuras gerações serão ainda mais prejudicadas. Uma das principais causas deste desequilíbrio ambiental corresponde à poluição das águas, portanto, nesta oficina de capacitação, vamos dar atenção especial à qualidade da água e ao controle da poluição. Você verá que os assuntos abordados têm tudo a ver com seus hábitos, com seu trabalho e com sua comunidade. Leia os guias abaixo para se informar mais sobre o assunto em um nível mais básico (nível 1) até um mais avançado (nível 2).

Operação e manutenção de estações elevatórias de esgotos

Você já parou para pensar por que os esgotos têm que ser coletados? As estações elevatórias de esgotos são necessárias em alguns sistemas de esgotamento sanitário e em outros não, por quê? Quais são os principais problemas associados à operação de uma estação elevatória de esgotos? Quais seriam as causas e as consequências desses problemas? Leia os guias abaixo para se informar mais sobre o assunto em um nível mais básico (nível 1) até um mais avançado (nível 2).

Amostragem, preservação e caracterização físico-química e microbiológica de esgotos

Para um sistema de tratamento de esgoto ter impacto positivo no ambiente e na saúde pública é preciso que ele tenha um efetivo controle operacional, o qual só pode ser alcançado através de um adequado programa de monitoramento. Nesse contexto, a realização de análises físico-químicas e microbiológicas é de extrema importância para garantir o bom funcionamento do sistema de tratamento de esgotos. Os resultados das análises laboratoriais irão definir as medidas a serem tomadas pelos operadores e pelos gestores para manter o sistema em bom funcionamento. Resultados inconsistentes podem acarretar uma opção errônea de operação, o que pode prejudicar a eficiência do sistema de tratamento, com impactos negativos na qualidade do curso d’água. Veja o guia abaixo para se inteirar mais sobre o assunto!

monitoramento covid esgoto

Operação e manutenção de redes coletoras de esgotos

Uma das principais causas das diversas doenças que acometem a população brasileira, sobretudo daquelas pessoas menos favorecidas, corresponde à falta de sistemas de coleta e afastamento de esgotos. Nesta oficina de capacitação, vamos dar atenção especial à operação e manutenção de redes coletoras de esgotos. Você verá que os assuntos abordados têm tudo a ver com seu trabalho, com sua comunidade e com seus hábitos. Leia a guia abaixo para se inteirar sobre o assunto!

Operação e manutenção de redes coletoras de esgotos