O mais comum de associar saneamento básico é com a saúde pública. E não está errado, o saneamento contribui para redução de contaminações e transmissão de doenças. Porém, o tratamento de água e esgoto não impacta somente na saúde da população, mas interfere direta e indiretamente em outras áreas do desenvolvimento humano.

Um estudo, conduzido em Bangladesh pela Universidade de Harvard, aponta que a falta de saneamento impacta no desenvolvimento do cérebro infantil. Em artigo publicado na revista Nature, pesquisadores discutem que doenças inflamatórias como as infecções intestinais,  causadas por patógenos presentes no esgoto, causam impactos relevantes nas atividades cerebrais das crianças.

Os resultados, ainda preliminares, se relacionam com conhecimentos antigos. Lembra-se do Jeca Tatu de Monteiro Lobato? O personagem de Urupês era preguiçoso, estava mais suscetível a doenças e tinha um ritmo de vida improdutivo. 

Monteiro Lobato, entretanto, conclui: “O Jeca Tatu não é assim, ele está assim”. Justamente porque era a falta de cuidado do poder público com medidas sanitárias, e o pouco investimento em saneamento básico que faziam o Jeca Tatu ser um anti herói. O autor então foi importante para difundir hábitos de educação sanitária no Brasil.

Infelizmente pouco se alterou do início século XX (quando Urupês foi escrito) para os dias atuais. Ainda 81% dos municípios brasileiros despejam esgoto em rios. E para provar que o saneamento é algo básico para o desenvolvimento de um país discutiremos alguns pontos a seguir. Siga a leitura e aprenda sobre o assunto.

Saneamento: o básico para economia

Falta de saneamento básico dificulta o desenvolvimento

Saneamento básico também é um retrato social do país

Os números são de difícil comprovação, mas de acordo com a OMS, a cada dólar investido em saneamento básico 4,3 são economizados na saúde global. O estudo ainda indica que 2,5 bilhões de pessoas não possuem acesso ao serviço no mundo. No Brasil os números também são alarmantes. Mais da metade dos brasileiros não possuem acesso a rede de esgoto.

Se a economia se baseasse somente no quanto não se gastaria em saúde já haveria um grande avanço. Entretanto, além de poupar na saúde um país que investe em saneamento também colhe em produtividade.

Em 2013, 391 mil brasileiros foram internados por motivos de  doenças gastrointestinais infecciosas. Isso representou um gasto de R$125,5 milhões para o SUS. Fora os gastos com os SUS, essas pessoas infectadas e/ou aquelas que as acompanharam precisam se ausentar do trabalho, deixar de realizar suas atividades cotidianas para se recuperarem da doença.

Em média, trabalhadores que possuem acesso a rede de esgoto ganham 14% mais do que aqueles que não são assistidos pelo serviço. Isso revela não somente o ganho na produtividade, mas também o problema social que a falta de saneamento causa.

Mas os problemas não param por aqui. Siga a leitura e confira os impactos na educação.

Educação e saneamento

Já falamos na pesquisa realizada em Bangladesh sobre o impacto do saneamento básico no desenvolvimento cognitivo humano. Mas o que ainda não dissemos sobre essa pesquisa é que seus pesquisadores também acompanharam as crianças em seu desenvolvimento e puderam perceber que aquelas que são atendidas pelos serviços sanitários cresceram cerca de 2 centímetros a mais e tiveram mais êxito em testes de leitura.

A questão não é que o saneamento irá proporcionar um melhor desempenho escolar. Entretanto, garantindo o saneamento as crianças terão mais tempo para estudar e desenvolverem seus projetos. Tempo esse antes gastos para se recuperar de doenças e infecções gerados pelo contato ou ingestão de água contaminada.

Crianças sem acesso a saneamento básico

Crianças sem acesso a saneamento básico tem menor desempenho escolar

É perceptível que crianças que estão expostas ao esgoto e não possuem acesso a água tratada sentem se menos dispostas a realizar suas atividades. A causa disso pode ser tanto verminoses como também outras doenças mais sérias  que levam à desidratação e intoxicação.

A nossa conversa não para por aqui. No domingo, por volta das 19h, iremos falar no IGTV e no Facebook sobre como o Saneamento básico impacta no desenvolvimento social. Continue com a gente e fique ligado(a) nas novidades e reflexões.